Dramaturgia e Escrita Obscena, com Silvia Góes

Workshop

Compartilhe

Descrição

A oficina é construída a partir de estímulos e provocações que oferecem diferentes perspectivas à pesquisa pessoal, inspiradas principalmente na prática e pensamento das diversas estruturas corporais e caminhos de movimentos unidos à composição textual como linguagem corporificada. Na expansão do fazer-se em arte enquanto criação autônoma pelo reconhecimento, encontro e abertura de poéticas próprias, o corpo é também o universo simbólico da criadora/criador e a palavra, sendo corpo junto, ganha novos sentidos, múltiplos, a partir da escrita vivencial de cada ser no mundo. Mover-se em composição é abrir espaços e reconhecê-los, busca de palavras, silêncios, gritos, cantos, passagens, esperas, movimentos e gestos, caça de imagens antigas redescobertas por dentro, lida no espaço, seja métrica restrita ou verso livre, pelo segredo de um ritmo próprio consciente de sua voz a cada aqui e agora. Durante quatro encontros, a literatura obscena de Hilda Hilst e outros escritos eróticos serão o ponto de partida e inspiração para o percurso e composição de corporeidades e poéticas próprias em relação com as sensações do prazer singular de colocar-se em criação.

São práticas corporais enraizadas nos estudos da improvisação, que acordam memórias, histórias, raízes, desnudando novas e antigas percepções, olhares, toques, (re)descobrindo peles e vestes que acompanham cada corpo vivo em movimento humano, do mundo ao dentro, da casa ao outro, dos muros às ruas da cidade. Perspectivas, distanciamentos, isolamentos, palavras… O que veste o espaço além do corpo? Como a nossa pele e sentimento de mundo reagem ao contato do que está próximo e às presenças distantes? A memória também é uma roupa que usamos, nos abriga, nos veste, desnuda? Tecido, costura, cor, vento, textura, raízes, asas, paredes, portas, vastidões, imagens, o que tudo isso atiça da superfície ao avesso e como transformar em texto o que se sente? Como me percebo enquanto movimento e como descrevo as sensações que poeticamente se mostram, obscenamente eróticas, pele sobre peles, impregnada de afetos, memórias, histórias coletivas e singulares, dores e risos, convenções e transgressões, muros e potências, mortes e partos, permanências e partidas, saberes reunidos e desconhecimentos fartos? Como realizar no sentir a composição de uma outra voz/história na escrita de uma dramaturgia pessoal, recriando no aqui e agora a experiência de outros presentes?

A oficina é um convite à escuta do corpo, esse imenso e obsceno portal de sensações, a partir de experiências que exploram potências de cada participante em exercícios construídos por um bordado de práticas como Contato Improvisação, Movimento Autêntico, Jogos da Palhaçaria e Escrita Poética, entre outras, no reconhecimento da abertura da expressão, extraindo os elementos que podem compor a tecedura de uma dramaturgia singular compartilhada. Todo o conteúdo aplicado é desenvolvido a partir de três eixos principais de estudos na relação com o corpo em movimento: Liberação e autoconhecimento corporal, Presença e expansão e Consciência espacial na composição. Um convite a um mergulho no próprio corpo enquanto palavra viva em recriação constante com o espaço que se ocupa e se deseja ocupar e pensando o espaço como a ampliação do corpo em relação com o mundo... Por que o movimento? Porque movendo escrevo, falo, brinco, grito, movo, passo, conto, reconto, quero, salto, nego, corro, desisto, volto, canto, peso, levo, trago, leve, afago, atrito, espaço, louvo, encerro, enterro, cato, planto, começo, peço, verso, reverso, agradeço, morro, acalmo, canso, avanço, solto, luto, vivo, nasço, atrito, atrito, atrito, gozo.

Para maiores informações, acesse: https://www.sympla.com.br/workshop-dramaturgia-e-escrita-obscena-com-silvia-goes__1228733

07/07/2021 a 28/07/2021

19:00 às 21:00

Organizador

Instituto Hilda Hilst

Salvamos dados da sua visita para melhorar e personalizar sua experiência aqui na Solutudo. Ao continuar, você concorda com a nossa Política de Privacidade.