DESCUPINIZAÇÃO

Outros Serviços
A consultar
Seja o primeiro a avaliar:

SOLUÇÕES DDDRIN PARA O CONTROLE DE CUPINS E OUTRAS PRAGAS DE MADEIRA

O chamado “cupim subterrâneo” é uma importante praga, pois destrói construções, móveis, etc., causando grande prejuízo ao ser humano. Sua fonte alimentar básica são os materiais celulósicos e lignocelulósicos sob diferentes formas (madeira viva ou morta). Normalmente a colônia principal está localizada no subsolo, mas há casos em que podem estar em estruturas altas, forros, caixões perdidos, provenientes de revoadas ou de sua própria proliferação. A dispersão da infestação desse tipo de cupim vem ocorrer também junto à rede hidráulica e elétrica. Ele não está localizado, pelo contrário, vive forrageando em busca de alimento e umidade. Esse forrageamento é contínuo e aleatório, devendo tratar a estrutura como um todo com barreira química e proteger todo o madeiramento fixo quimicamente.

Outra alternativa é o processo de Iscagem, elaborado com informações da biologia, comportamento e hábito alimentar de cada espécie, podendo ser restrita a algumas espécies. Na área a ser monitorada, tubos-iscas são instaladas no solo com um substrato palatável, sendo periodicamente inspecionados. Diferentes tipos de estações de solo e aéreas podem ser utilizados para atender diferentes ambientes. Orientamos não retirar túneis de forrageamento ou aplicar qualquer produto químico nos locais onde os cupins estão aparecendo até o contratante decidir pelo melhor método de controle. A troca do madeiramento sem prévio tratamento não irá resolver o problema e o que poderá ocorrer é um novo ataque às peças novas. O tratamento profissional é fundamental para o controle dessa praga.

 

PULVERIZAÇÃO E INJEÇÃO LÍQUIDA

Tratamento de madeiramentos em geral via introdução de inseticida líquido diluído em solventes orgânicos por pequenos furos, em média 2 mm ao longo da peça tratada ou em suas interfaces como no caso de assoalhos de piso, rodapés, forrações em geral, batentes de portas e janelas, entre outros.

Aspersão de inseticida emulsionado em solução aquosa ou em solventes orgânicos.

A aplicação destina-se a superfícies diversas, como: jardins, madeiramentos, alvenaria entre outros.

                      

 POLVILHAMENTO

Aplicação de produto inseticida formulado em matéria inerte tipo pó seco sem odor e com reduzido grau tóxico, com alto poder residual, atuando por contato.

A aplicação destina-se a focos situados em pontos com eletricidade como, eletrodutos, caixas de fusíveis e telefone, centrais elétricas e motores e equipamentos elétricos em geral, luminárias, espaços falsos ou vagos como alguns tipos de forrações e caixas de passagem da rede de esgoto, bueiros, entre outras aplicações.

 

TRATAMENTO PRÉ-CONSTRUÇÃO

Este sistema consiste na proteção da edificação antes e durante a toda a construção do imóvel.

 

LIMPEZA TÉCNICA

Retirada de colônias sejam externas ou internas somente se localizadas e se não for possível eliminá-la com tratamento químico.
Este sistema consiste em efetuar uma abertura no vão falso seja laje, madeiramento ou coluna.

 

BARREIRA QUÍMICA

Infiltração de pisos, alicerces, alvenaria, jardins, vãos falsos de lajes e/ou paredes através da introdução de inseticida líquido em solução aquosa por injeção pressurizada visando efetuar encharcamento total para proteção da estrutura, podendo ser efetuado por perfurações que distam entre si em média 30 cm ou por valetas cavadas em paralelo aos alicerces.

 

BARREIRA QUÍMICA PERMANENTE

Proteção do perímetro e do alicerce da estrutura através da infiltração de solução química aquosa, seguida da instalação de um sistema de irrigação ao longo do perímetro interno e/ou externo para reabastecimentos futuros.

 

FUMIGAÇÃO E EXPURGO

Tratamento a gás em ambiente fechado ou através da instalação de tendas plásticas específicas para este fim, ou através de vedação total do local se tecnicamente possível, cujo ambiente e/ou peças ficarão expostas ao produto pelo prazo de 48 a 72 horas e em seguida deverá ser desembalada ou aberta para que seja promovida a devida ventilação por um prazo mínimo de 12 horas. (Existem variações de tempo conforme situação local)


Avaliações

Ninguém avaliou esse produto ainda. Que tal ser o primeiro?