Bancária

Advocacia
Produto oferecido por: Sobrinho Advogados
A consultar
Seja o primeiro a avaliar:
BACÁRIA  (CONTRA ABUSO BANCÁRIO)   TIPOS DE AÇÕES E REQUISITOS    
AÇÃO DE REVISÃO DE JUROS BANCÁRIOS (SERVIDORES PÚBLICOS, PENSIONISTAS E TRABALHADORES DA ÁREA PRIVADA) Como se sabe, dezenas de milhares de pessoas, pelos mais variados motivos, celebram contrato de empréstimos, cuja principal finalidade é estabilizar ou melhorar sua vida de alguma forma. Entretanto, os bancos, cientes disso, acabam estabelecendo taxas de juros abusivas e que ultrapassam a taxa média de mercado estabelecida pelo Banco Central do Brasil, o que é vedado, em regra, pelas Cortes de Justiça. Em sendo assim, foi desenvolvida a presente ação judicial, cuja principal finalidade é a revisão dos juros cobrados acima da taxa média de mercado disposta pelo Banco Central do Brasil, diminuindo o valor das prestações, ou, caso o cliente já tenha pagado valores que amortizaram a sua dívida, também se busca a devolução dos valores cobrados irregularmente na forma dobrada (ou simples).       AÇÃO DE LIMITAÇÃO DOS DESCONTOS AO IMPORTE DE 30% DA REMUNERAÇÃO LÍQUIDA (SERVIDORES PÚBLICOS, PENSIONISTAS E TRABALHADORES DA ÁREA PRIVADA) As instituições bancárias, nalgumas vezes, acabam celebrando contratos de empréstimos  com os servidores públicos e trabalhadores da área privada e cobram as taxas de juros dentro da média de mercado estabelecida pelo Banco Central do Brasil. Todavia, mesmo agindo assim, os bancos, inúmeras vezes, em empréstimos celebrados com desconto em conta corrente e na folha de pagamento, promovem descontos superiores a 30% dos rendimentos líquidos dos servidores públicos/pensionistas/trabalhadores, causando inúmeros transtornos de ordem patrimonial, além de ferir a própria dignidade da pessoa como ser humano, o que é, em regra, vedado pela legislação e pelos Tribunais de Justiça. Dessa forma, a presente ação foi desenvolvida para buscar a limitação dos descontos dos empréstimos celebrados (folha de pagamento e conta corrente) à margem de 30% da remuneração líquida do servidor público/pensionista/trabalhador do setor privado, prolongando-se os valores que se deixar de pagar em virtude da ação, de forma a melhorar os descontos dos empréstimos e propiciar uma melhor condição do cliente gerir sua vida financeira.       AÇÃO DE LIMITAÇÃO DOS DESCONTOS AO IMPORTE DE 30% DA REMUNERAÇÃO LÍQUIDA (SERVIDORES PÚBLICOS, PENSIONISTAS E TRABALHADORES DA ÁREA PRIVADA) As instituições bancárias, nalgumas vezes, acabam celebrando contratos de empréstimos  com os servidores públicos e trabalhadores da área privada e cobram as taxas de juros dentro da média de mercado estabelecida pelo Banco Central do Brasil. Todavia, mesmo agindo assim, os bancos, inúmeras vezes, em empréstimos celebrados com desconto em conta corrente e na folha de pagamento, promovem descontos superiores a 30% dos rendimentos líquidos dos servidores públicos/pensionistas/trabalhadores, causando inúmeros transtornos de ordem patrimonial, além de ferir a própria dignidade da pessoa como ser humano, o que é, em regra, vedado pela legislação e pelos Tribunais de Justiça. Dessa forma, a presente ação foi desenvolvida para buscar a limitação dos descontos dos empréstimos celebrados (folha de pagamento e conta corrente) à margem de 30% da remuneração líquida do servidor público/pensionista/trabalhador do setor privado, prolongando-se os valores que se deixar de pagar em virtude da ação, de forma a melhorar os descontos dos empréstimos e propiciar uma melhor condição do cliente gerir sua vida financeira.     AÇÃO DE REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS (SERVIDORES PÚBLICOS, PENSIONISTAS E TRABALHADORES DA ÁREA PRIVADA) Sabe-se, ainda, que a instituições financeiras, por muitas vezes, acabam cometendo atos irregulares como negativação do nome do cliente, cancelamento unilateral do crédito especial, retenção integral do salário, bem como outras condutas relativas a fraudes bancárias. Todos os comportamentos acima mencionados, em regra, são passíveis de punição mediante propositura de ação de reparação por danos morais, cujo escopo é punir a instituição financeira (pelo equívoco) e compensar o cliente (pelo transtorno ocorrido). Portanto, o desenvolvimento da presente ação tem por finalidade buscar, em face do banco, a condenação na reparação por danos morais, de forma a, mediante dinheiro, ensejar a devida reparação do cliente por atos ilícitos promovidos pelo banco.    

Avaliações

Ninguém avaliou esse produto ainda. Que tal ser o primeiro?